À Herberto!

Por Mariana Gouveia . . “Só alguma coisa parada no cimo de uma visão tremente. A primavera, que eu saiba, tem o sal como cor imóvel, Por um lado entra a noite, assim de súbito negra”. Herberto Helder . Meu caro Herberto! . Abro a janela e seu poema rodeia o quintal. A noite chega…

Carta à Florbela

Por Mariana Gouveia . .   Querida Flor. . A primeira carta que te escrevi eu tinha 11 anos — ou seriam 53? — por que parece que não mudou o rumo das coisas. Lá — há 43 anos — havia violetas roxas no quintal. Era outro tempo, outro lugar… ou será que avancei no…

Carta à Emily…

Por Mariana Gouveia . . Eu te dou metade dos meus pássaros — sobre a doce condição de que você os trará de volta — você mesma, e habitará um dia comigo, alegria sem preço, eu mesma ganhei da natureza. Emily Dickinson . Querida minha! . Talvez seja intimidade demais para nós… eu, que conheço tanto…

A Al Berto!

Por Mariana Gouveia . . Fala-me tu do Amor… e dessa coisa esquisita que é o tempo com quatro dedos de distância entre o ardor das línguas e a asfixia dos corpos. Fala-me tu do Amor e desse desejo que arrasta a proximidade que anula todos os intervalos em pequenas existências que de tão insignificantes…

Sete luas

Por Emerson Braga QUANTAS LUAS VOCÊS JÁ LERAM NOS ÚLTIMOS DIAS? EU LI SETE!     Não há um dia sequer em minha vida em que eu não olhe dezenas de vezes para o céu, principalmente quando as estrelas começam a cintilar no firmamento, pois, como o Rodrigo S.M. de Clarice Lispector, “eu também sou…

Marielle´s

Projeto coletivo idealizado por Andri Carvão para ser uma homenagem-lembrança dessa figura pública: mulher-negra-favelada-vereadora-ativista de tantas causas… e uma consequência — a sua morte prematura…

Sete Luas

Sete Luas — é o terceiro projeto Coletivo da Scenarium. Sete Mulheres — adriana aneli, adriana elisa, aden leonardo, ingrid morandian, mariana gouveia, nic cardeal e rebecca navarro —, a escrever sob o signo da lua — nova, crescente, nova, minguante. Sete livros que representam o singular de cada autora… . [esgotado]  .

Por Mariana Gouveia

A mulher que me inspira . . Trazia a cor nas mãos — todas elas. Fazia do nosso mundo um universo inteirinho colorido, e contava as histórias de cada uma. Com o vermelho irradiava as flores que bordava e parecia ter saído do pé da roseira do jardim. Logo pela manhã, na mesa singela do…

Projeto Coletivo 2017

Com a participação de nove autores… o projeto Coletivo é um convite ao movimento pelas ruas da cidade…

A contagem das horas

Por Adriana Aneli . “Não era eu a louca — afirmava — e lembrava-me de que loucos nunca sabem que são. Ria, e ditava as palavras, igual à professora de português, para não me perder dentro da cabeça dela”. Mariana Gouveia   Eu me irmanei neste projeto. Autoras da Scenarium, anotamos, durante o curso de…

O palco das ousadias de Marcelo Moro

Por Mariana Gouveia   A primeira vez que me deparei com Teatro das Ousadias foi paixão ao primeiro poema e depois ao segundo, ao terceiro e daí por diante… ele veio até mim, destrinchado por uma amiga — ainda cru e mesmo assim deliciosamente ousado. Com o livro pronto e mãos… eu ganhei o mar…

o lado de dentro de Mariana Gouveia

Por Adriana Aneli   O lado de dentro (Scenarium, 2015) instiga à penetração, este mergulho no escuro… nada por acaso, a capa do livro se rasga, por e.x.e.m.p.l.o.s, sugerindo ao leitor que se descosture e aprenda a espiar. É d’O lado de dentro que o olhar atravessa. Sim, Mariana está nua. Poemas se despem ao…

Corredores, codinome: loucura

  “Corredores, codinome: loucura“, primeiro romance de Mariana Gouveia traz a tona a história de Maria, que é levada para um hospício onde vive incontáveis anos, sob os cuidados de Matilda, a guardiã legal dos excluídos. . Mariana Gouveia… nasci numa fazenda no interior de Goiás, das mãos de uma parteira que se chamava Florinda,…

Cadeados abertos

E uma espécie de caixa de costuras que toda casa antiga tinha, com carretéis de linhas, agulhas, dedais e retalhos de tecidos… caixas com botões coloridos e uma tesourinha para cortar o fio. Cada item impulsiona uma lembrança — vivências singulares que nos toma pela mão e conduz aos caminhos do coração da autora. ….

Um poema de Mariana Gouveia

[o lado de dentro]   Havia qualquer coisa de Santa, mas havia, também, qualquer coisa de louca não sei se o jeito de olhar. O atrever-se com as mãos ou o recato do decote, tão íntimo. Havia qualquer coisa de tímida, mas, também havia qualquer coisa de exibicionista. Não sei se o riso solto ou…

Conheci Mariana Gouveia no mundo dos blogues e quando decidi me aventurar pelo universo dos livros artesanais, a convidei para brincar comigo e ela aceitou… surgiu dias depois o livro ‘o lado de dento’, um belo exemplo de poesia…